CALIGRAFIAS AMERÍNDIAS

R$35,00

Sérgio Medeiros

Os grafos deste livro são atribuídos ao Jardineiro Do(u)do e querem sugerir as folhas de um jardim possível, folhas de uma palmeira que ainda não nasceu, mas que o poema parece anunciar ou evocar. A arte do Jardineiro Do(u)do é, nesse sentido, profética: transforma cada palma num sol e num olho. É uma arte iluminada na medida em que quer revelar algo que pulsa ou se move no escuro. Exatamente por isso a palma é também olho e sol, mesmo estando numa caverna — tudo se reduz, afinal, a uma arte das cavernas futuras, que reluz à sua maneira nas páginas do livro. O leitor é convidado a explorar a caverna em todos os sentidos, pois o livro, como o olho e o sol que ele contém, deve circular livremente.k/


Sérgio Medeiros nasceu em Bela Vista (MS). É poeta, ficcionista e ensaísta. Publicou, entre outros livros de poesia, A idolatria poética ou a febre de imagens (Prêmio Biblioteca Nacional 2017), Trio Pagão e Os caminhos e o rio.

REF: 978-85-64029-64-4 Categorias: ,

CALIGRAFIAS AMERÍNDIAS

Sérgio Medeiros

Poesia
Páginas: 80
Ano: 2019
ISBN: 978-85-64029-64-4

Informação adicional

Dimensões 18 × 23 × 0.5 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Apenas clientes logados que compraram este produto podem deixar uma avaliação.