A imagem queima

R$35,00

Georges Didi-Huberman

“A imagem queima”, de Georges Didi-Huberman “A primeira edição deste ensaio, “L´image brûle”, é de 2004. De lá para cá, seu autor veio se firmando como uma das vozes mais autorizadas na renovação epistemológica, não só da história da arte, mas no conjunto das ciências humanas. Toda escritura começa com o olhar de Orfeu, dizia Blanchot, portanto, um dos maiores desafios na antropologia visual praticada por Georges Didi-Huberman é não imobilizar a imagem, isto é, dispensar despojá-la de sua própria capacidade para tornar sensível um determinado instante, um fugaz fragmento da história, como veio sendo comum em certa tradição crítica.” (trecho inicial do prefácio de Raul Antelo)

Sobre o autor:

Georges Didi-Huberman (Saint-Étienne, 1953) é filósofo, curador e historiador da arte. Professor-conferencista na Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais em Paris desde 1990. Lecionou em universidades europeias, americanas e asiáticas. É autor de vários livros sobre filosofia, história da arte, a partir de um campo de estudos que vai da arte renascentista à arte contemporânea, incluindo o cinema, a escultura, a instalação e estudos sobre filósofos, artistas e historiadores, entre os quais: O que vemos, o que nos olha (Editora 34, 1998), Ser crâneo (Editora C/Arte, 2009), Sobrevivência dos vaga-lumes (Editora UFMG, 2011), A pintura encarnada (Escuta, 2012), A imagem sobrevivente (Contraponto, 2013), Diante da imagem (Editora 34, 2013), Invenção da histeria (Editora Contraponto, 2015) e A semelhança informe ou o gaio saber visual segundo Georges Bataille (Contraponto, 2015).

REF: 978-85-64029-47-7 Categorias , , ,

A imagem queima

Georges Didi-Huberman

Tradução: Helano Ribeiro
Estudos da Imagem, Filosofia, História
Páginas: 72
Ano: 2018

Informação adicional

Dimensões 18 × 13.2 × 0.5 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Apenas clientes logados que compraram este produto podem deixar uma avaliação.